sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

TRF-4 TEM PRESSA EM CONDENAR LULA: VAI COMER CRU E QUENTE

O ano de 2018 começou nesta segunda quinzena de dezembro de 2017 quando o TRF-4, com sede em Porto Alegre, marcou em tempo recorde o julgamento de Lula. Como ensina o ditado popular, quem tem pressa come cru e quente.

Uma das  principais preocupações dos setores democráticos da sociedade era de que as eleições de 2018 não ocorressem. Porém esse preocupação vai se dissipando, pois a falta de entendimento entre os golpistas detonou o processo eleitoral, que a esta altura já é irreversível.
Manuela D'Ávila critica Ciro Gomes: Justiça boa respeita direto de defesa.
Embora tivesse a intensão de alijar sumariamente da disputa em 24 de janeiro de 2018 o líder das pesquisas - marcando seu julgamento arbitrário no recesso do STF e entre as férias de início do ano e o Carnaval, período de certa dispersão dos movimentos populares e da militância de esquerda - deu um tiro não no pé, mas no meio da própria testa, pois o TRF-4, antecipando o calendário, marcou uma data extremamente conveniente aos trabalhadores, que, aproveitando as férias, já marcam verdadeiro tsumani, para essa data em Porto Alegre, com um mês de antecedência e com todo esse tempo para se mobilizar.

Leia esta Zona crua.
A candidata a presidenta da República Manuela D'Ávila (PCdoB), que já se pronunciou sobre o oportunismo da data marcada e a arbitrariedade espúria do julgamento, gaúcha, estará presente com a multidão e com personalidades internacionais já confirmadas para perfilarem com Lula e o povo nesse dia histórico de mobilização contra o golpe e o arbítrio no Brasil.

O fato de o PCdoB ter lançado essa jovem guerreira na disputa de 2018 somou uma voz de peso na defesa de Lula, mas também ofereceu ao país mais um polo à esquerda a somar forças com o candidato do PT na luta pela restauração da democracia no Brasil. O belo candidato do PT mais a fera gaúcha têm tudo para tornar o 24 de janeiro de 2018 um ponto de viragem em favor da democracia no Brasil. Em terra de Getúlio Vargas, Leonel Brizona e Manuela D'Ávila, a estratégia de Moro e dos golpistas pode rolar ladeira abaixo. É a volta do cipó de aroeira  no lombo de quem mandou dar, nesse dia e nesse lugar .

JEOSAFÁ, professor, foi da equipe do 1o. ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, entre os quais O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário