sexta-feira, 8 de setembro de 2017

EM BUSCA DO JUDAS PERFEITO

Sérgio Moro, o suposto juiz, nas palavras do jurista Bandeira de Melo, depende hoje totalmente de um judas perfeito para apanhar Lula em sua tocaia parajurídica. Suas estratégias sutis como rinocerontes apoiaram os pés no solo pantanoso de delações extraídas a fórceps - uma mais inverossímil que a outra, todas vazias de provas materiais, contraditórias e cujos enredos mal ajambrados envergonharia um estudante de Ensino Fundamental.

A dependência desse curinga é tal que Moro já abriu mão das aparências, já não se importando sequer com a verossimilhança. No depoimento patético de Palocci desta semana sequer preocupou-se com um bom ensaio: o depoente literalmente trouxe colinhas de papel com resposta pronta para cada respectiva pergunta.
São Paulo nua e crua.
Porém o teatrinho mal ensaiado, quando filmado, se torna bizarro. O suposto juiz pergunta, após o réu tecer acusações as mais pesadas que pode contra Lula: "O senhor estava nessa reunião", ao que Palocci responde: "Não, Excelência, mas no dia seguinte o presidente Lula me chamou e me contou". Noutra oportunidade, a mesma pergunta, agora sobre outra acusação. A resposta? A mesma: "Não estava, mas o presidente me contou no dia seguinte".

Palocci foi mais outro judas falho. Resta saber se receberá, ainda assim, os trinta dinheiros a que se candidatou, ao pôr em curso sua "delação implorada", na feliz expressão da presidenta Dilma - em resposta a suas bizarrices. Moro, esse mal jurista de uma nota só (Lula Lula Lula), terá de continuar sua busca por outro judas perfeito, pois não lhe resta outro recurso para enfrentar Lula. Não se enganem: esse cavalheiro já se encontra no mundo perturbado e sombrio da monomania.

JEOSAFÁ, professor, foi da equipe do 1o, ENEM, em 1998, e membro da banca de redação desse Exame em anos posteriores. Compôs também bancas de correção das redações da FUVEST nas décadas de 1990 e 2000. Foi consultor da Fundação Carlos Vanzolini da USP, na área de Currículo e nos programas Apoio ao Saber e Leituras do Professor da Secretaria de Educação de São Paulo. É escritor e professor Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo. Autor de mais de 50 títulos por diversas editoras, lançou em 2013 O jovem Mandela (Editora Nova Alexandria);  em maio de 2015, nos 90 anos de Malcolm X, O jovem Malcolm X, pela mesma editora; no mesmo ano publicou A lenda do belo Pecopin e da bela Bauldour, tradução do francês e adaptação para HQ do clássico de Victor Hugo, pela editora Mercuryo Jovem. Leciona atualmente para a Educação Básica e para o Ensino Superior privados.

Um comentário: